Como ter fluxo de caixa organizado

Como ter fluxo de caixa organizado

Controlar as finanças de uma empresa pode ser desafiador, não é mesmo? Para uma boa saúde financeira será necessário ter um fluxo de caixa organizado. Neste artigo vamos explicar o que é exatamente é um fluxo de caixa e qual a sua importância dentro de diferentes empresas.

O que é Fluxo de Caixa?

Uma empresa no dia a dia precisa de uma certa organização, não apenas no trabalho como organização para manter suas finanças em ordem.

O fluxo de caixa também é uma maneira dos gestores perceberem o crescimento da empresa, pois se a empresa não tem recursos suficientes para cobrir as despesas e custos de sua operação, então é um bom momento de repensar o negócio.

O fluxo de caixa normalmente é uma quantia de recursos utilizados pela empresa para como um caixa rápido. O fluxo de caixa é um fundo com finalidade de tornar possível tomar ações rápidas, portanto em um mesmo dia é possível que ele seja bastante alterado com entradas e saídas de valores.

Devido à essa característica de volatilidade, o consórcio pode ajudar a ter um maior equilíbrio e consistência. Com os consórcios você passa a realizar um investimento mensal e quando for contemplado terá acesso ao crédito e poderá usá-lo para adquirir bens.

O fluxo de caixa também revela muito sobre a saúde financeira de uma empresa. Nele, todas movimentações são registradas e assim o(s) gestor(es) podem ter um panorama geral da saúde financeira da empresa.

Basicamente, o fluxo de caixa organizado torna as ações financeiras da empresa mais fáceis e seguras. Quanto maior for a empresa, mais importante tende a ser o fluxo de caixa organizado.

Qual a diferença entre fluxo de caixa e controle de caixa?

O fluxo de caixa leva em conta diversos fatores financeiros da empresa, como gastos, ganhos e projeções para estes gastos e ganhos. O fluxo de caixa não é apenas uma ferramenta de controle, mas uma peça fundamental para o planejamento de qualquer instituição.

O controle de caixa é uma outra ferramenta financeira, mas com uso de forma diferente. O controle de caixa será um registro diário ou semanal, onde é anotado todos os valores de movimentações feitas, mas não inclui um planejamento financeiro à curto prazo.

Com o consórcio você pode adquirir um bem desejado ou até mesmo realizar reformas e ampliações na empresa. Com essa compra programada, os consórcios ajudam a trazer estabilidade para seu fluxo de caixa.

O que preciso para um Fluxo de Caixa eficaz?

A principal necessidade para ter um fluxo de caixa eficaz é a organização e comprometimento de registrar as movimentações realizadas e as que estão por ser realizadas.

O cenário ideal é que a empresa crie uma tabela com todos os gastos que ela teve no mês, junto com as entradas obtidas no mesmo período. Conforme os dias forem passando, anote também gastos e ganhos planejados. Dessa forma, o gestor poderá criar um breve planejamento para os próximos dias.

Tipos de fluxo de caixa

  • Fluxo de caixa projetado

O fluxo de caixa projetado busca conhecer de forma mais profunda as entradas e saídas do caixa da empresa.

Vamos supor que uma empresa tenha R$ 20.000,00 em caixa para usar na movimentação do fluxo de caixa. Se ela tiver que pagar R$ 15.000,00, ficará com apenas R$ 5.000,00 no fluxo de caixa, porém em 5 dias ela receberá um pagamento de R$ 25.000,00, o que deixará em breve com fluxo de caixa de R$ 30.000,00.

Através dessas projeções, o gestor pode realizar um pequeno planejamento para os próximos dias. Com o fluxo de caixa projetado o gestor tem uma visão mais ampla, completa e exata.

Dessa forma, o gestor não é enganado pelo controle de caixa diário, que poderia indicar uma baixa muito grande e isso poderia gerar uma decisão errada pela parte do gestor.

  • Fluxo de caixa diário

Modelo muito usado por empresas com muitas movimentações, neste tipo de fluxo de caixa o gestor deverá analisar as informações financeiras diariamente.

Empresas que trabalham com vendas diárias precisam usar este tipo de fluxo de caixa pois realizar este monitoramento em períodos maiores pode significar muitos prejuízos.

  • Fluxo de caixa simples

O fluxo de caixa simples mantém as premissas de outros modelos de fluxo de caixa, como anotação de entradas e saídas e investimentos, porém é mais simples e flexível, podendo ter controle diário, semanal ou mensal.

Com este modelo, se o valor foro negativo o gestor deverá tomar medidas para que a renda da empresa possa voltar a crescer. Se estiver positivo, é possível disponibilizar esses saldos para investimentos ou melhorias na empresa.

Este modelo é indicado para negócios menores ou quando o gestor não tem tanto conhecimento em finanças.

Qual a importância de um Fluxo de Caixa?

Independente do modelo adotado para o fluxo de caixa, para que ele seja organizado é preciso preencher com todos os recebimentos e despesas, a fim de criar um cenário completo do ambiente financeiro da empresa.

Através deste cenário completo, o gestor da empresa pode tomar medidas para reajustar o balanço da empresa para que ela volte a crescer, ou então realizar melhorias na empresa como a contratação de novos funcionários, melhoria da infraestrutura, etc.

O fluxo de caixa evita o desperdício de dinheiro, o atraso no pagamento de contas, não saber qual o ritmo de crescimento, ficar sem dinheiro por um período de tempo, a falta de precisão das análises, etc.

Com o consórcio, você faz a aquisição de imóveis sem prejudicar a saúde financeira da sua empresa, com parcelas que cabem no orçamento. Com os consórcios imobiliários é possível comprar uma casa, apartamento, terreno ou então até mesmo construir o imóvel.

Como fazer um fluxo de caixa?

  1. Defina um período de análise de caixa

O primeiro passo é definir o período para realizar a análise de caixa da empresa. Digamos que para seu negócio o gestor considere que a melhor forma é uma análise semanal de um período de um mês.

Crie uma tabela em qualquer programa de planilhas. Nessa tabela diariamente devem ser preenchidos todas as movimentações da empresa, para que o gestor posteriormente possa olhar.

  1. Registre e faça a categorização das movimentações

Na tabela é necessário registrar rendimentos e gastos, mas não esqueça de criar categorias para isso. A categorização é muito importante para que o gestor possa entender posteriormente em um relatório completo onde estão os maiores lucros e maiores gastos da empresa.

É interessante criar diferentes categorias para os recebimentos, como por exemplo: venda de produto, pagamento atrasado, pagamento de juros, pagamento parcelado, serviço prestado, etc. Tente pensar em todas as formas que sua empresa recebe valores. Faça a mesma coisa com os gastos. Exemplo: compra de matéria prima, pagamento de salários, contas fixas, materiais de trabalho, concertos, etc.

  1. Realize o acompanhamento

Quando chegar o momento, o gestor deverá analisar o relatório de fluxo de caixa e pensar o que pode ser feito para melhorar os resultados, se houver pontos claros de má utilização dos recursos. Corte de gastos e aumento de lucros sempre são bem-vindos.

  1. Faça projeções de gastos e ganhos

Com estes relatórios de fluxo de caixa, o gestor pode realizar projeções quanto aos gastos e ganhos futuros e assim já antecipar medidas que irão equilibrar o balanço da empresa.

Use consórcio para balancear o fluxo de caixa

Com os consórcios, as empresas podem realizar diversos investimentos sem comprometer o fluxo de caixa.

É possível adquirir novas propriedades, adquirir máquinas para melhorar a produtividade, realizar reformas, fazer aumentos na planta de trabalho e até mesmo usar o valor para capital de giro da empresa.

 

 

Entre em contato nossos consultores para simular e contratar seu consórcio. Temos mais de 30 anos de experiência na área de consórcio, podendo indicar os melhores grupos de acordo com seu perfil de investimento.

Site criado por

Ação Web - Criação de Sites E-commerce e Loja Online

WhatsApp